O Bing ainda existe?

O Bing ainda existe?

Quando falamos sobre motores de pesquisa na internet, certamente o mais conhecido e utilizado é o Google. Devido à popularidade, muitos pensam ser a única ferramenta disponível, mas na verdade existem muitos mais, como por exemplo o Bing.

É um motor de pesquisa da Microsoft e surgiu em 2009. Na altura o lançamento teve muito sucesso e atraiu um grande número de novos utilizadores. Ainda hoje existe e ocupa a segunda posição como o motor mais utilizado.

Vamos falar um pouco mais da história desta ferramenta e explicar a sua relevância atual.

Bing: Conheça a história e as principais vantagens de o utilizar

O Bing foi criado em 2009, com a missão de substituir os antigos motores de busca da Microsoft (MSN Search e Live Search).

Assim como outros motores de pesquisa, as funcionalidades permitem pesquisar resultados na web, imagens, vídeos e notícias. Além de também contar com o recurso de mapas.

Pouco após o lançamento teve um crescimento tão grande que, através de uma parceria com o Yahoo, conquistou o segundo lugar no mercado de pesquisadores mais populares.

De facto, a ferramenta não possui a relevância do Google que domina o mercado. Contudo, apresenta boas vantagens em relação ao líder e são estes diferenciais que ainda conseguem conquistar um grande número de público.

E por falar em público, algumas pesquisas demonstraram que o utilizador típico da plataforma possui entre 55 e 64 anos. Atualmente, representa cerca de um terço das pesquisas realizadas em desktops dos Estados Unidos.

Apesar do alto domínio do Google no mercado, é uma ferramenta muito utilizada. Principalmente por ser o motor padrão dos dispositivos em que é utilizado, como o Amazon Kindle e a Siri, da Apple.

Quais são as principais vantagens?

Ao aceder ao motor de pesquisa, vai reparar que o layout é bem diferente do maior concorrente, o Google. A ferramenta da Microsoft aposta em fotografias com belas paisagens, enquanto o Google apresenta um design mais minimalista.

Contudo, apesar dessa diferença, a verdade é que a qualidade dos resultados da pesquisa não difere assim tanto.

Inclusive, o Bing oferece alguns recursos extras que são muito interessantes, como a verificação de notícias. Numa época marcada pelas fake news, esta é uma contribuição importante para se manter atualizado com conteúdos que são verdadeiros.

Outra vantagem é que permite que os utilizadores salvem resultados de pesquisas, com notícias, imagens ou mesmo vídeos, que podem ser acedidos a qualquer momento.

Mas, o diferencial que mais pode funcionar como vantagem está na plataforma de anúncios, chamada de Microsoft Advertising.

Através dela é possível segmentar ainda mais a execução das estratégias de anúncio. Além de palavras-chave, é possível usar local, idioma ou até mesmo horário para que as campanhas consigam melhores resultados.

A plataforma também permite a extensão de links, incluindo-os de forma a levar os utilizadores diretamente para uma página específica. Outro recurso é a utilização de imagens ao lado de um anúncio para chamar ainda mais a atenção.

Por tudo isso, tem se saído muito bem na publicação de anúncios, conquistando elogios de agentes do setor de publicidade.

O Bing deve continuar a funcionar?

Dificilmente conseguirá superar o Google, que domina 90% do mercado. Apesar disso, possui um público característico que não abre mão dos seus recursos.

Por isso, o Bing deve continuar a funcionar, mesmo ocupando uma posição ainda tímida. Tendo em consideração os investimentos que a Microsoft continua a fazer pode haver um aprimoramento do motor de pesquisa.

Deixe uma resposta