Quanto custa fazer publicidade nas redes sociais?

Quanto custa fazer publicidade nas redes sociais?

Para ter um plano de marketing eficiente é preciso elaborar um orçamento que considere todos os potenciais gastos. Isso inclui ações promocionais, licenças de softwares, eventos, impressões, marketing digital… E, nunca se esqueça de incluir a publicidade nas redes sociais.

No marketing digital são utilizados diversos recursos para que uma marca conquiste o seu lugar no mundo digital. E, a publicidade em diferentes redes sociais tem sido um meio bastante utilizado para este propósito.

Mas, sabe quanto custa fazer este tipo de publicidade? Como é precificado um anúncio numa rede social? De seguida vou abordar este tema, e reunir todas as informações que precisa conhecer antes de começar a investir.

Publicidade nas redes sociais: Como calcular o preço dos anúncios

As redes sociais possibilitam uma alta taxa de engagement entre utilizadores e marcas. Portanto, é um canal determinante na elaboração de estratégias publicitárias.

Neste sentido, ao optar por fazer um anúncio nas redes sociais, é possível escolher entre diversas formas de precificação. As três mais comuns são:

  • CPC
  • CPM
  • CPA

Explico de seguida cada uma delas.

1. Custo por Clique – CPC

O CPC, ou Custo por Clique, consiste em anúncios cuja forma de cobrança é feita com base no número de cliques realizados na publicação.

Ou seja, o anunciante só paga por cada clique que efetivamente conseguir, independentemente do número de impressões dos anúncios.

A principal vantagem está no fato de que o anunciante só paga se o utilizador realmente estiver interessado no anúncio e clicar nele. Desta forma estará a pagar por um público verdadeiramente qualificado.

Para saber ao certo o custo de cada clique, basta dividir o total gasto pelo número de cliques no anúncio. No entanto, por norma este valor está sempre inserido no gestor de anúncios, para que o possa ver de forma simples.

Este é o modelo mais indicado para quem está a começar a fazer anúncios nas redes sociais, pois é mais fácil de controlar.

2. Custo por Mil – CPM

Já o CPM ou Custo por Mil impressões consiste numa métrica que traduz o gasto criado a cada mil impressões do anúncio. Ou seja, o número de vezes que determinada publicidade foi exibida.

Quem opta pelo CPM como forma de pagamento de publicidade nas redes sociais, concorda em pagar uma quantia pré-determinada para cada mil impressões.

3. Custo por Aquisição – CPA

Por fim, temos o CPA, que significa Custo por aquisição. Este modelo é o que tem um custo mais elevado entre todas as opções. O anunciante só paga quando alcançar o objetivo final da sua campanha.

Pode-se dizer que o CPA é uma espécie de afiliação em que o publisher do anúncio só lucra quando a ação desejada pelo anunciante é realizada pelos visitantes. Para quem anuncia os riscos são menores, uma vez que só paga pelas transações que concretizaram o objetivo.

Este modelo é mais indicado para quem já possui uma ampla margem de lucro com os produtos. Isto porque o valor dos anúncios pode ser mais caro, já que o publisher só recebe quando a ação desejada é realizada.

É importante ter em consideração que por norma esse modelo funciona mais para blogs e sites do que para redes sociais.

Antes de escolher algum destes modelos de publicidade, é preciso considerar quais são os seus objetivos.

Se pretende alcançar mais visibilidade e notoriedade, talvez a CPM seja mais adequada. Se por outro lado, deseja eficácia e captar o público verdadeiramente interessado, a opção será o CPC.

Independentemente do modelo escolhido, deve ter sempre em mente que a publicidade nas redes sociais deve estar integrada e alinhada com os restantes meios online. Só assim poderá ter um resultado eficaz.

Deixe uma resposta